Startups, ciência e inovação na saúde: 2nd Meeting Case Western University & Hospital Albert Einstein

A Polo BPM com sua iniciativa para Gestão de Centros de Pesquisa Clínica, Polo Trial, esteve presente como convidada no stand da Eretz.bio, incubadora de startups do Hospital Albert Einstein, no “2nd Meeting Case Western University & HIAE – Building a Global Partnership in Health Education, Research and Innovation“, realizado na cidade de São Paulo pelo Hospital Albert Einstein e a Case Western Reserve University. O evento ainda marcou a comemoração dos 20 anos do Instituto de Pesquisa do Hospital Albert Einstein promovendo a inovação e a ciência no setor de saúde.
Para a Polo BPM foi uma oportunidade valiosa para mostrar a importância da Gestão e Tecnologia aplicada à área da saúde para profissionais e cientistas altamente qualificados, sobretudo àqueles dedicados à pesquisa clínica. Os principais pontos discutidos em conversas diretas e nos workshops apontam para:
  • A Gestão, apesar de ter a sua importância amplamente difundida no setor de saúde, tem relevância especial neste momento de transformação digital e disrupção. Para poder se engajar neste empreitada será necessário ter disponibilidade de recursos e alocá-los de forma assertiva.
  • Para alocar recursos com inteligência é necessário dados. Porém, não qualquer tipo de dado. É necessário que estes dados estejam organizados, qualificados, centralizados, continuamente coletados/capturados e passíveis de serem trabalhados por recursos modernos de Machine Learning, Inteligência Artificial e Big Data.
  • A abordagem Gestão + Dados pode não ser o suficiente para mudar paradigmas persistentes dentro das organizações de saúde. Os gestores de saúde precisam consentir com esta abordagem e mitigar processos decisórios que fogem de uma visão científica da condução organizacional.
  • É este o caminho (e a oportunidade) para o Brasil se aproximar das referências internacionais em gestão da saúde. Em suma, quem está atrás precisa ser ainda mais efetivo na alocação de recursos.
  • Dados, agilidade, novos paradigmas, Machine Learning, IA, tecnologias disruptivas entre outros tópicos correlatos ficam cristalinos e ganham vida nas soluções propostas pelas startups.Há ótimos exemplos em todas as frentes da saúde e em todas as especialidades.
No mais, o evento intercalou apresentações de papers científicos e cases de Startups. A sinergia entre ambos ficou evidente por terem pessoas trabalhando com objetivos em comum, compartilhando soluções e conhecimento que estão na fronteira das melhores práticas.

 

Autor: Luiz Ricardo Brito Ribeiro

Economista de formação e profissional especializado em Gestão por Processos (BPM) e Projetos. É consultor na Polo BPM e vem atuando junto aos gestores nas transformações organizacionais necessárias para um mundo mais conectado, dinâmico e centrado na geração de valor .

 


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *